Filosofia da Consciência ou teoria do transe – A atualidade do pensamento sobre o Brasil no cinema de Glauber Rocha

Com Regina Mota. Dia 14 de setembro, quarta-feira, 13h30, na Multimeios do Prédio 13. Aberto ao público.

terra_em_transe_cartaz_medio

Foi com Terra em Transe que Glauber Rocha tornou-se mundialmente conhecido, conquistando o Prêmio da Crítica do Festival de Cannes, em 1967. Em uma carreira encurtada pela morte aos 42 anos, em 1981, consolidou-se como um dos principais expoentes do Cinema Novo. Lutava, antes de tudo, por uma revisão crítica da dura realidade a partir da qual produziu sua arte esteticamente inovadora.

“Consciência” é conceito central da obra do cineasta, o que o antropólogo Darcy Ribeiro chama de “a difícil tomada de consciência de si”. Nesse encontro, a pesquisadora Regina Mota propõe uma reflexão acerca da relação que se estabelece entre a obra e o espectador e que resultarem deslocamento, em uma mudança de estado. A pesquisadora pretende elucidar mecanismos que expressam e promovem o transe, construídos pioneiramente, assim como metáforas, alegorias e parábolas inscritas nos filmes desse importante cineasta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s